Passo a passo de Quito a Baños

Compartilhe e Comente

Esse foi o passo a passo mais frustrado, mais duro e mais difícil até o momento. E, com fé e muita positividade, vai ser o único. O problema é que fomos furtados no trajeto de ida e ameaçados no trajeto de volta Quito – Baños.

Saímos da capital equatoriana em uma manhã ensolarada. Subimos no trólebus, do Centro Histórico rumo a rodoviária sul: Quitumbe. Uma viagem de, aproximadamente, uma hora com o custo de U$0,25 pax.
Durante esse trajeto, uma senhora viajou ao lado da Carol e alertou sobre o perigo do percurso. Na verdade, fazia algum tempo que sinais vinham nos dizendo que algo estava por passar.

Não sabemos, mas há momentos e coisas que, simplesmente, devem passar. O Ivan não queria visitar a cidade, não sabia o pôr que. Vinha refletindo sobre perdas materiais e como seria sua reação se algo acontecesse. A Carol, dois dias antes do ocorrido, escreveu um texto com o título “Roubar”. Ela vinha refletindo sobre o mundo contaminado.
Encontramos uma família que nos disse assim: “cuidem-se, há muitas pessoas boas, mas, também, muitas más”. A mesma senhora que nos acompanhou até a rodoviária foi nos alertando todo o caminho. Enfim, as coisas acontecem como tem que acontecer, e estamos muito gratos pela saúde e a benção de estarmos bem e juntos para dar continuidade ao nosso caminho.

Nos levaram as coisas de dentro de uma das mochilas sem nos darmos conta, e quando percebemos o que havia acontecido, paramos o ônibus na próxima cidade: Ambato. Todo um momento de pânico e confuso. Algo muito desagradável. O único que conseguimos momentaneamente da empresa de ônibus foi muito cinismo do motorista e seu ajudante e, depois de ajuda da polícia, o dinheiro de volta da passagem, que custam quase em todas as empresas U$3,50 pax. Para os que não querem pegar essa empresa, o nome e Tour San Francisco Oriente. Os dois grande erros dessa empresa foram: mentir que viagem era direta, que não havia paradas na rua, e logo que saímos nos demos conta de que a cada esquina que levantavam o dedo, eles paravam; e, também, no momento que fomos roubados, vimos um adesivo dizendo que o ônibus tinha câmeras filmando; o que e uma lei nacional, mas a câmera não existia,. Uma mentira!

Aí estivemos todo o dia, com dois policiais que compraram nossa causa e nos levaram para todos os lados, de uma delegacia a outra, mas nada nem ninguém queria resolver o problema. Ao final da tarde, os mesmo fizeram um boletim de ocorrência. Nos levaram até a rua onde passavam os ônibus e levantando o dedo, subimos no próximo ônibus para Baños, por mais U$1,00 pax.

Traumatizados e assustados, chegamos ao lindo povoado, cercado por montanhas e pelo Tunguraua, um vulcão BEM ativo que havia entrado em erupção 2 semanas antes.

Não fizemos nenhuma das atividades que a cidade oferecia.

No dia seguinte fomos até Puyo, povoado onde esta a matriz da empresa de ônibus. Gastamos todo o dia lá, mas não conseguimos falar com ninguém responsável. Aliás, em um momento, ficamos com medo e decidimos ir embora para que não gravassem nossas caras. Estava difícil de confiar nas pessoas. Conseguimos alguns nomes, nada mais.

Na volta de Baños até Quito, o percurso foi o mesmo. Trocamos de empresa … obvio. Mas…
Sim, sofremos outra violência. Dessa vez verbal.
Três tipos subiram no ônibus e nos cercaram, um atrás, e dois do lado. Começamos a escutar rumores pelos bancos frontais de pessoas que já conheciam a cara dos três e sabiam que roubavam. Até que um deles, olhou para a cara do
Ivan e disse:
- Macaco, olha pro outro lado porque sua presença me incomoda. Vai se foder!

Assustados, rezamos. E como viram que todos no ônibus já sabia da intenção dos três, desceram no próximo ponto.
Que triste realidade! Um horror ter que viver esse tipo de situação.

Enfim, esse trajeto e muito turístico e nos disseram que costumam passar essas coisas. Depois, nos demos conta de que era véspera de feriado, e que isso acontece com mais frequência em todos os lugares. Afinal, todos querem um extra para curtir as festas, e ai os ladrões também saem para trabalhar!

Uma realidade triste de um mundo doente e contaminado. Mas…” nos não precisamos de mais problemas, o que precisamos e de amor!” – Bob Marley

Como chegar em Passo a passo de Quito a Baños

icon_onibus

De ônibus
Foi a nossa escolha para viajar. Hora errada, momento errado, pessoas erradas. Fomos furtados dentro do ônibus na ida e ameaçados na volta.
Fomos com a empresa “Touris San Francisco Oriente”. A viagem é de, aproximadamente, 3h40 e a passagem custa U$5,20 pax.
A volta foi com a Transporte Baños com o mesmo tempo e mesmo valor para a viagem.

De Carro
Um lindo visual. Uma viagem de, mais ou menos, 3 horas de duração.
Só cuidado, porque o caminho é serra, muitas curvas e altitude.

De Carona

Nos pegamos muita carona no litoral equatoriano. Não sabemos dizer como são as coisas e as pessoas dando carona pela serra, mas preferimos não recomendar, já que o percurso registra um grande número de assaltos. Mas, achamos importante dizer que em esse trajeto acontecem alguns roubos, principalmente, a turistas. Assim que, cuidado! Muita intuição se decidir subir em um veiculo.
Viajar de dia e uma boa escolha, sempre.

De Avião

A única maneira de chegar em avião é um voo até a capital, Quito. E, de lá, um ônibus até a cidade de Baños que está no meio da serra.


Gostou?! Receba nossos passos